Notícias - Saúde / Publicado em 10/01/2018 às 08:53

Profissionais da saúde participaram de formação sobre Atendimento Pré-Hospitalar

Por Simone Ludwig

Foto: Simone Ludwig
Foto: Simone Ludwig

A quarta-feira, dia 3, foi de muito aprendizado e troca de experiências, para 22 profissionais da saúde Felizense.  Isto porque, eles passaram 20h em treinamentos práticos e teóricos, focados no atendimento pré-hospitalar (APH), no Parque Municipal de Feliz. “Como envolve muitos participantes, para tirar dois ou três dias acaba sendo ruim. Desta forma, conseguimos fazer uma escala para que o pessoal conseguisse participar do treinamento em 1 dia e que aproveitassem bem o momento”, destaca a diretora técnica do Hospital Schlatter, Jacqueline Simon.

Conforme Jacqueline, a iniciativa procurou contemplar colaboradores do Posto de Saúde, Hospital, Samu de Feliz e Corpo de Bombeiros. “São vários profissionais envolvidos, ou seja, desde dede os que levam ao hospital no primeiro atendimento, até os que recebem no hospital e quando é necessário, fazem a remoção para outro local.  Temos um centro integrado”, destaca. “ “A ideia é que todos consigam enxergar o processo como um todo”, destaca.

O curso Atendimento Pré-hospitalar Nível II aprofundou a teoria e a prática sobre atendimento ao trauma e suporte básico de vida, através da inserção de novos conteúdos, tornando o socorrista mais seguro para a realização deste trabalho. Além de todo conhecimento envolvido, existe uma integração muito importante entre os profissionais.  “Além de dizer que hoje nós temos um quartel, um local onde todos estão em conjunto, as instruções, as aulas e o trabalho também precisam ser feitos em conjunto”, enfatiza Jacqueline.  “A ideia é que para 2018 melhore ainda mais os nossos treinamentos, porque só treinando, capacitando e estudando que nós vamos melhorar o nosso atendimento. Quem ganha é a população”, conclui.


Um dia de muito aprendizado

Quem foi que ministrou o treinamento foi o instrutor Fabio Guizzardi, da SOS Training – Capacitação em Emergências. Conforme ele explica, o treinamento foi de nível intermediário, já que os profissionais felizenses são formados no  básico. “Alguns assuntos nós avançamos um pouco mais e conseguimos ensinar um primeiro socorro mais adequado para a função deles aqui. Para que eles consigam responder bem os acidentes de trânsito e também os casos clínicos”, explica. “Passamos também pelo Suporte Básico de Vida para Profissionais da Saúde e de Resgate (Basic Life Support), que tem certificação internacional e todos aqui têm essa formação. Ela habilita eles a fazerem atendimento com oxigênio, com aspiração, como uso do desfibrilador que está no automático e que as ambulâncias do Samu já têm”, acrescenta.

Segundo o instrutor, esse treinamento tem 20h, sendo 18h de aulas práticas e 2h a distância, que são as avaliações teóricas, que compõem a nota final. “Eles passaram por várias situações durante o treinamento, todas que simularam ocorrências reais”, afirma Fabio. “Estamos muito felizes, porque no curso BLS, por exemplo, todos foram aprovados com notas ótimas”, destaca.

Notícias

Mais notícias